Skip to content

Minha experiência usando Grav CMS e Ghost

Pra quem trabalha com blogs se depara muito com um ambiente cheio de wordpress, joomla, drupal, blogger mas será que existe vida fora desse ecosistema?
Continue lendo e vou mostrar minha esperiencia com o Grav e o Ghos e por que estou usando eles.

Por que decidi mudar do wordpress?

Bom pra quem conhecia o blog anteriormente sabia que o blog tinha outro nome, outra plataforma e até outro tema para o blog rsrs.
Mas enfim por que mudar pra wordpress?

  • Gostaria de experimentar novos CMSs
  • Gostaria de ter um CMS com linguagem Markdown embutida
  • Gostaria de testar algo fora do ambiente easy-engine + wordpress
  • Gostaria de integrar o conteúdo do blog no GitHub
    Como você pode ver, não é nenhum motivo que envolve o CMS X é melhor que o CMS Y, o real motivo foi curiosidade e como quero focar o blog para o publico que trabalha com desenvolvimento achei interessante ter um blog em markdown.

Por que Grav e Ghost?

Vamos lá, testei nos últimos 6 meses algumas dezenas de CMSs tanto em PHP quanto em Python além disso também testei 3 plataformas de Saas para manter o blog que são; Google Cloud Plataform, Heroku e AWS Beanstalk.
O que vejo como um problema pra mim foi adaptar os CMSs para a plataforma de Saas o que foi bem chato, entre vários testes acabei gostando mais do Grav e do Ghost, o Grav pela simplicidade de subir um flat CMS e o Ghost por já ter vários tutoriais para subir a ferramenta nos Saas que comentei.

Grav

Grav é um flat CMS que usa a notação Markdown e roda em PHP, fora isso ele usa a framework symphony. Nas minhas experiências houve alguns problemas por questão de permissão que precisei muitas vezes fazer na mão para o site ser exibido. Um ponto positivo nele são algumas páginas pré-montadas como curriculuns, também por ter um esquema de plugins assim como o wordpress e já possuir um sistema de backup. Fica como ponto negativo a questão dos temas, muitos deles são antigos e não funcionam tão bem com versões novas do Grav também não achei nos grandes servidores receitas prontas para o Grav o que muitas vezes facilita.

Ghost

Ghost é um CMS que usa Markdown, porém eu acho ele mais parecido com o WordPress em sua proposta, pois é necessário um banco de dados relacional. O Ghost usa um servidor em node e tem uma interface muito bonita e intuitiva, ela é acabou ficando como minha platafaforma de blog principalmente por já ter uma receita pronta no google cloud que é a plataforma que está o blog no momento. Como ponto negativo eu coloco a ausência de plugins que muitas vezes poderia facilitar e o sistema de atualização que hoje eu preciso fazer diretamente no servidor.

Minha Experiência

Bom foram praticamente 12 meses testando eventual vários CMSs, cheguei a relançar o Blog na plataforma do Grav mas acabei desistindo principalmente por conta dos temas, pois nesse momento não era interessante pra mim tentar arrumar algum tema e colocar no ar, gostaria de algo mais pronto. Porém a dupla Easy Engine + Grav funciona muito bem, tanto que meu curriculum está no Grav.
Já o Ghost é uma plataforma muito bonita, muito funcional, acredito que por não ter plugins me incomoda um pouco, outra coisa que me incomada é o fato de não poder atualizar diretamente na plataforma (pelo menos não achei uma configuração pra mudar isso) o que acaba tirando um pouco da dinamica de alguém que tem um blog. Mas, ele já possui um básico para começar a suar e além disso ele já tem tem receitas para criar o servidor nas principais plataformas do mercado.

Conclusão

Sinceramente, se você não tem intenção de explorar e que algo extremamente funcional eu ainda recomendo o wordpress, principalmente o WordPress + Easy Engine. Com ele você cria blogs em questão de minutos e sem dor de cabeça e com certificado SSL. Porém meu objetivo nesses testes é explorar como o mercado está evoluindo, particularmente essas duas plataformas na minha visão podem ganham muito mercado que hoje é do wordpress pela sua facilidade de trabalho.
O Futuro do blog? Sinceramente dificilmente ficarei no Ghost como por uma questão pessoal eu quero usar um CMS em Python devo explorar mais os CMSs Lektor, Nikola, Pelican e Pico. É importante resaltar que outro motivo que é um pouco perigoso ir pra uma plataforma nova é que ela pode parar por qualquer motivo, então se você gostar de alguma dessas plataformas é bom ter isso em mente.
Bom espero que tenha gostado e a partir de agora o blog deve voltar a ter postagens mais frequentes, pois tenho quase 12 meses de assunto acumulado!
Se você gostou não deixe de comentar.

Published inUncategorized